Skip directly to content

Prefeitura de Caarapó lança programa especial de refinanciamento de dívidas

Data: 
04/01/2021 - 21:34
Prefeitura de Caarapó lança Refis

 

A prefeitura de Caarapó lançou programa especial destinado a promover a regularização de créditos do município decorrentes de débitos de contribuintes – pessoas físicas ou jurídicas – relativos a tributos municipais. A regulamentação está consignada na Lei Complementar Nº 089/2020, de 16 de dezembro de 2020.

 

Trata-se, na prática, de um Refis – Refinanciamento Fiscal de dívidas vencidas até 30 de novembro do ano passado. Pela lei, tais débitos podem ser pagos à vista ou em parcelas. Para o pagamento em parcela única, a adesão do contribuinte deve ocorrer até 28 de fevereiro de 2021, sendo-lhe concedida exclusão de 100% da multa e juros de mora. Outra opção é o parcelamento em até seis vezes. Nesse caso, haverá redução de 50% da multa e juros de mora.

 

De acordo com o Departamento de Tributação, Arrecadação e Fiscalização da prefeitura, a dívida geral dos contribuintes do município, com vencimento até 30 de novembro de 2020, ultrapassa R$ 8 milhões. É esse valor que a administração municipal quer recuperar através de negociação administrativa, nos termos do programa especial.

 

Pela legislação, o município é obrigado a cobrar judicialmente os débitos do contribuinte, pois não pode abrir mão da receita. Se não cobrar a dívida, o prefeito pode responder na Justiça.

 

A dívida de que trata o programa especial diz respeito a tributos municipais vencidos. Impostos municipais são os tributos cobrados pela administração pública de cada município, com o objetivo de arrecadar recursos financeiros e, assim, garantir a o cumprimento das obrigações públicas perante a sociedade. 

 

Para cada imposto existe uma base para o cálculo do valor e a periodicidade que ele será cobrado.

Os contribuintes precisam pagar os tributos em dia para garantirem seus direitos e para possibilitar que o poder público cumpra com seus deveres. 

 

Além disso, o indivíduo deve pagar os impostos municipais para evitar problemas fiscais posteriores — como multas exorbitantes, cadastro em órgãos de restrição ao crédito e outras sanções.