Skip directly to content

Estrutura da CNM e desafios para 2021 são apresentados a gestores do Centro-Oeste

Data: 
25/11/2020 - 15:24
Glademir Aroldi, da CNM

“Vocês não estão sozinhos. Nas dificuldades não estarão sozinhos. Não estou dizendo que resolveremos todos os problemas, mas vamos caminhar ao lado de vocês, juntos com vocês, de mãos dadas e punhos cerrados na busca de nossos problemas. Não vejo municipalismo forte sem a participação de todos”.

Com essa fala, o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, enalteceu o importante papel da entidade no trabalho lado a lado com os líderes municipalistas.

A fala se deu durante o encontro Saudações Municipalistas desta quarta-feira, 25 de novembro.

Nesta manhã, o evento, que aconteceu totalmente on-line, foi direcionado a prefeitas e prefeitos da região Centro-Oeste eleitos no pleito municipal realizado no último dia 15 de novembro.

Na oportunidade, Aroldi apresentou um pouco da estrutura da CNM que representa os 5.568 Municípios brasileiros.

“Não adianta nada a estrutura existir se não tiver comprometimento, parceria, união e participação de todos os envolvidos no processo. E quem são? Os prefeitos, prefeitas, secretários, líderes, vereadores e vereadoras. Isto torna o nosso movimento muito forte”, complementou.

Entre os 40 anos de luta da Confederação, o movimento municipalista se consolidou e conquistou o respeito e o reconhecimento do Congresso Nacional, do governo federal e das instituições que, segundo Aroldi, estão ouvindo a voz de cada prefeito do país.

“A nossa estrutura tem sua base nos municípios. O motivo da existência das entidades são os municípios”, lembrou.

Para atender a todos os líderes municipais, a CNM conta com um corpo técnico qualificado e com a colaboração significativa do conselho político da entidade.

Formado pelos presidentes das entidades estaduais, o conselho político representa a união de esforços com muita parceria na busca de amenizar as dificuldades vividas nos Municípios.

Participação dos gestores


A atuação da CNM se dá também na elaboração de estudos e pesquisas que mostram a realidade vivida em cada localidade.

Para tanto, a entidade reforça que não há como mostrar a realidade sem a efetiva participação dos gestores municipais.

Neste aspecto, é necessário que o gestor municipal promova a atualização do cadastro para, além de ficar bem informado, possa participar dos levantamentos. Ao fazer isto, estará apto a receber SMS, alertas, informações e orientações, além de estar conectado com a CNM.

Desafios em 2021

25112020 EventoBoasVindas3Um dos tópicos levantados pelo presidente da CNM foi o que os gestores municipais podem e devem esperar do próximo ano. Para Aroldi é preciso um maior investimento na educação, um cuidado com a variação do câmbio, já que isso altera o preço de produtos e resulta em risco para a inflação.

Para lidar com os desafios, uma palavra deve estar no dia a dia da gestão municipal: cautela. “Neste primeiro contato de boas-vindas, estamos dizendo para que tenham muita cautela na hora de estruturarem os colaboradores, a estrutura para o próximo mandato. O reeleito sabe como ele vai assumir a administração, o eleito ainda não. É tomar pé da situação. Não comece montando estrutura, secretarias, contratando gente”, reforçou Aroldi.

Com o objetivo de auxiliar o gestor municipal, o coordenador da área jurídica da CNM, Rodrigo Dias, reforçou que a CNM disponibiliza documento com recomendações básicas aos que assumem o pleito para a gestão 2021 a 2024. “Com planejamento, administração das ações e finanças, o gestor tem condições de avançar em importantes projetos nas áreas”, complementou.

Agenda 2021

Importantes eventos já estão na pauta da CNM para o próximo ano. Durante o mês de janeiro, a entidade vai promover o encontro Novos Gestores. Entre os dias 18 e 28 de janeiro, separado por regiões, os líderes municipalistas poderão receber informações e orientações qualificadas sobre a gestão municipal.

Por conta da pandemia do coronavírus, o evento vai acontecer de forma virtual, diferente das edições anteriores. “Qual o ponto positivo? É que no presencial, o prefeito ia a Brasília. E isso acontecia antes do prefeito assumir a gestão. Agora, no virtual, o prefeito vai ter um tempo para poder conhecer o seu Município, saber a situação que recebeu a localidade. Além disso, o prefeito, vice-prefeito, gestores e colaboradores poderão participar do evento, porque é à distância”, lembrou Aroldi.

Na pauta de eventos, também, está a realização da XXIII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que vai acontecer entre os dias 24 e 27 de maio de 2021.

“É o momento de maior mobilização do movimento municipalista. Nós temos uma participação de 9 a 10 mil líderes municipalistas, além de participação grande de representantes do Congresso Nacional, do governo Federal. Eles vão até a Marcha para a gente poder fazer o debate e mostrar as dificuldades que vivenciamos em cada localidade do Brasil”, finalizou o presidente da CNM.

Fonte: Agência CNM