Skip directly to content

Aroldi defende união entre estados e municípios em favor da Nova Previdência

Data: 
07/08/2019 - 10:45
Aroldi durante encontro com os governadores

 

“A gente precisa se unir e fazer uma mobilização conjunta entre estados e municípios se quisermos realmente a inclusão dos entes na Reforma da Previdência”, defendeu o presidente da CNM (Confederação Nacional de Municípios ), Glademir Aroldi, durante o VI Fórum de Governadores. 

 

Na reunião de ontem entre os líderes estaduais, Aroldi defendeu também a pauta convergente entre os municípios e estaduais.

 

Em sua fala, o presidente relatou a expectativa do movimento municipalista. 

 

“Ontem estivemos reunidos com [o presidente do Senado] Davi e depois com [o senador] Jereissatti e ficou claro que há interesse do Senado em incluir estados e municípios no texto”, ressaltou. 

 

O líder do movimento explicou, ainda, que os Municípios estão sensibilizados e trabalhando por essa inclusão. “Nós fizemos eventos nos estados, com apoio das entidades estaduais, para conversar com os senadores pedindo a inclusão por parte do Senado”, lembrou.

 

Por fim, o presidente da CNM sugeriu que estados e municípios estejam unidos por essa pauta. “Quero fazer uma proposta de a gente já começar a conversar com [o presidente da Câmara], Rodrigo Maia, e fazer uma mobilização muito forte”, convocou.

 

Na reunião – coordenada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha – os governadores se manifestaram e chegaram ao consenso de apoiar a entrada dos Entes federados no texto da reforma por meio de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição), mesmo que de forma paralela ao texto o principal – PEC 06/2019. 

 

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, alertou que “a cada dia que se passa, ficará mais difícil aprovar uma reforma local”.

 

A sugestão do governador do Pará, Helder Barbalho, foi de que o grupo deveria estar atento aos prováveis dias de votação no Senado. 

 

“Temos de saber a expectativa de prazo para votar a previdência e aproveitar a audiência com o senador Davi Alcolumbre para saber essa data”, defendeu. 

 

Além disso, ele alertou para necessidade de se reunir com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para saber as expectativas de votação de uma PEC paralela. “Nós precisamos entender o clima dentro da Câmara e saber como vamos avançar”, completou o governador de Goiás, Ronaldo Caiado.

 

Lei Kandir 

 

Outro tema que foi abordado pelos chefes do executivo estadual foi a necessidade de se discutir com o governo federal a compensação da Lei Kandir. 

 

Os gestores estaduais decidiram que um grupo – composto pelos governadores dos Estados que mais perdem recursos com a falta de compensação – fosse criado para debater junto ao Executivo Federal as demandas dos Estados quanto à pauta.

 

“Nós sabemos que existem valores consideráveis para receber do governo e não podemos abrir mão desse recurso”, pontuou o governador de Minas Gerais, Romeu Zema.

 

Reunião Senado

 

Após a reunião, o presidente da CNM e os gestores estaduais foram recebidos pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, na residência oficial do parlamentar. 

 

Assim como combinado, os gestores estauais e o líder do movimento municipalista pediram celeridade na votação da Reforma da Previdência. Após sair da audiência, Aroldi concedeu entrevista para a imprensa e resumiu a agenda do dia.

 

“O presidente Davi defende a inclusão de estados e municípios na Nova Previdência, porque entende qua aí sim ela ficaria completa e há esta necessidade por conta da situação que vivem os estados e municípios”, contou.